segunda-feira, 31 de outubro de 2011

De conchinha



"Os dois corpos deitados
Lado a lado, em S inverso
Grudados, prolongados
Um no outro e no reverso,
Falam entre si, dilatados
poro a poro, conversos.
Numa só concha colados,
Como silenciosos versos
Ao som do mar soprados,
Contêm eras, universos,
Vozes de doces passados,
No duplo futuro imersos.
Leem-se, textos espelhados,
Decorando de modo diverso
O que era sabido e inacabado:`
Pés se roçando perversos,
Costas no peito, seio abraçado,
Joelho juntos a seus anversos,
Bunda no púbis encaixado,
Rosto nos cabelos submerso.
Perenes, jamais dispersos,
São umorganismo
Concentrado."

Retirado do jornal "O Estado de São Paulo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário