quarta-feira, 15 de maio de 2013

Palavras...

Um grande amigo certa vez me disse para que eu tomasse cuidado com as minhas palavras.
Elas tinham a força de mover montanhas e derreter geleiras. Elas geravam expectativas nas pessoas.
É uma grande verdade, nossas palavras podem tanto tanto mover montanhas, quanto derreter geleiras , trazer o frescor do vento ou o calor da ira,
o açúcar do afeto ou o fel da mágoa.
podem silenciar o universo como açoitar a tudo e a todos como labareda desgovernada de nossos incêndios mais íntimos.
Quando falamos, as palavras são portadoras dos sentimentos e significados de quem as emitiu mesmo que este alguém não saiba quem ele é em dado momento.
Afinal, na ira, nos desgovernamos de nossa consciência.
as palavras navegam sem rumo ou ecoam com seus tambores rtimados.
basta uma palavra para o mundo se abrir e uma intenção, para perceber o universo inteiro se dissipar.
Falar é ato santificado.
Falar é possibilidade de esclarecer, perdoar,acalmar, elogiar, se fazer ouvir.
Falar sem palavras é sabedoria apreendida com o tempo, com o sofrimento , com a maturidade...
É antes de dizer, saber ouvir.
Tudo na natureza é um eterno movimento, de abertura e recolhimento.
De expansão e contração.
O diálogo, a capacidade de manter e buscar um caminho , uma trilha de saída para o impasse.
porque procurar diferenças nas palavras se elas podem trazer conciliação.
Busque suas melhores palavras e as dê como um presente diário para todos que te cercam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário