segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Índia - Um olhar amoroso

"..Mas, nesse caso, onde estaria representado o gesto místico, o rio pacificado pela cabeleira? Não o vemos em nenhum lugar. Shiva, rei da dança, que gosta tanto de aparecer, aqui teria preferido ficar invisível. Por quê? Por mais que procuremos em todos os cantos, o muro permanece enigmático.
talvez, no fim das contas, seja a lição desejada. Não tentar compreender, mas olhar atentamente. As formas são esplêndidas. Excelentes artistas trabalharam nesta rocha. Talvez tenha disposto as figuras sem querer lhes dar, necessariamente, um sentido - este sentido que procuramos em todos os lugares, até mesmo nas grutas pintadas da pré-história.
por que dar um significado à beleza, correndo o risco de traí-la e, de qualquer modo, reduzi-la? Talvez seja esta a mensagem secreta do gato que aparece ali. à sua maneira, ele imita, desajeitadamente ,a atitude do asceta. Enquanto isso, os ratos de granito façam alegres em torno dele.
talvez assim se interrompa a atividade da razão, paralisada pela explicação das coisas e pela imitação de si mesma , enquanto a liberdade do mundo nos escapa.
O muro de Mahabalipuram: no fundo , talvez, aos nossos olhos, uma grande imagem da Índia".

Nenhum comentário:

Postar um comentário