quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Jerusalém - uma cidade, três religiões

"....Não obstante, os cristãos se consideravam superiores a esse tipo de devoção. Diziam com orgulho que sua fé era puramente espiritual e não dependia de santuários e lugares santos. Sua surpreendente reação à descoberta do sepulcro mostra que os mitos da geografia sagrada estão profundamente arraigados a psique humana.
Um choque repentino ou um inesperado reencontro com um dos símbolos palpáveis de nossa fé e de nossa cultura pode redespertar esse entusiasmo por um espaço sagrado, sobretudo após um período de perseguição, em que as pessoas sofreram  com especial intensidade a ameaça de aniquilação.
Nunca podemos dizer com certeza que superamos estes mitos primordiais: mesmo no mundo científico do século XX não somos imunes a sua atração, como nos demostra Jerusalém. Ao ver o sepulcro do Ressuscitado, os cristãos sentiam o choque do reconhecimento e, pela primeira vez, eram impelidos a arraigar-se num local físico, a construir sua morada no mundo profano, a apropriar-se dessa área sagrada. Esse benéfico elo co  o passado permitiu que se instalassem no centro da Aelia romana,abandonando sua posição marginal e assumindo um lugar totalmente novo no mundo".
Livro: Jerusalém - uma cidade, três religiões.
Autora: Karen Armstrong
Editora: Companhia das Letras

Livro maravilhoso pela reflexão que possibilita sobre a vinculação de cada um, a parir de sua perspectiva religiosa, com o sagrado e sua simbologia espiritual e interna. Cada religião construiu e constrói a partir de valores díspares, este vínculo ao longo da história. Para muitos a ligação não é com a concretude do lugar mas sim o "espaço-lugar"impermanente e imperecível que é edificado dentro do coração.
Cada um tem um lugar e ocupa um lugar.
Este lugar não obrigatoriamente está fora. Na maioria das vezes, o fora e visível, espelha a simbologia imaterial de nossas emoções e espiritualidade mais profundas.
Aquelas que sobrevivem ao tempo. Procure seu lugar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário